BIOGRAFIA
// Sobre Luciana Oliveira
 

tit-bio

 

 

lu-bio Brasiliense e formada em teatro, Luciana Oliveira teve seu primeiro contato com os palcos através da arte da interpretação. Se lançou em carreira solo com o show Cântico Negro, prévia do que seria” O Verde do Mar”, seu primeiro álbum de estúdio, com produção musical de João Ferreira. Gravado em Brasília, o álbum traz compositores brasilienses e releituras de João Donato e Jackson do Pandeiro. No mesmo período Luciana participou como backing vocal da banda Natiruts, acompanhando a banda em turnê nacional e internacional.
 
Em 2013 lançou seu segundo disco Pura, gravado na Bahia, com produção musical de Alê Siqueira. O disco propõe uma experimentação, trazendo referências da música afro-brasileira, bases do hip hop, soul e funk e contou com participações de Elza Soares e Mateus Aleluia, além da regravação de Dorival Caymmi. Seu terceiro álbum lançado em agosto de 2017 vem com pegadas de R&B, soul, reggae e funk, regravações de Caetano Veloso, Luiz Melodia, Elza Soares e composições autorais.
 
Luciana Oliveira realizou shows pelo Brasil, com destaque para Festival 061 em Brasília, projeto Quintas no BNDES no Rio de Janeiro, Festival Bohemia em São Paulo e foi contemplada com os prêmios de circulação de shows do Sesi, Caixa Cultural e Proac edital e Icms em São Paulo.
 
Gravou em 2011 com a lenda viva do dub Mad Professor, em seu estúdio em Londres, um projeto que mescla música brasileira e reggae.
 
Em abril de 2017 idealizou o show Canções de Liberdade que aconteceu em duas apresentações no Sesc Pompéia com sucesso de público e crítica. O show contou ainda com as participações de Liniker, Maíra Freitas, Jesuton e Eduardo Brechó.
 


DEUSA DO RIO NÍGER
// Conheça o novo álbum
 

tit-deusa

 

 

Deusa do Rio Níger, é uma homenagem ao poder feminino. Uma releitura para a música gravada por Elza Soares em 1974. Teve produção musical e arranjos de Caê Rolfsen e a presença de músicos do cenário paulistano como Sérgio Machado, Lucas Martins, Dustan Gallas, Bruno Prado e Maurício Badé. Contou ainda com participações especiais de Guilherme Arantes, Fióti, Eduardo Brechó e Xênia França. É um álbum que mergulha na soul music, no ska e no reggae. Homenageia o passado, reverencia o futuro e nos brinda com o presente.

Um dos artistas que mais se impressionaram com Luciana Oliveira, recentemente, foi o célebre autor de uma das músicas que ela gravou: Caetano Veloso.

Caetano ficou maravilhado com a interpretação que ela deu a sua ” Neide Candolina “, cujo registro o fez se sentir estimulado em termos criativos. Quem, antes, se encantou com a gravação e a apresentou ao baiano, certo de que ele iria gostar do que ouvira, foi, Carlos Rennó.

Em email que enviou de volta a Rennó, Caetano agradeceu ao letrista paulista e à cantora brasiliense, e escreveu:

“Achei isso uma coisa maravilhosa. Em todos os sentidos. Fico honradíssimo com a escolha dessa minha música por uma cantora tão boa. Principalmente me assombro com a coincidência de estar pensando muito nessa canção recentemente: ouço muita coisa americana que tem essas melodias africanizadas, repetitivas, e tenho vontade de falar musicalmente algo próximo a essa língua, mas em chave estética e inspiracional brasileira – o que me levou a lembrar que Neide Candolina tinha já parentesco com isso. Aí vem essa gravação deslumbrante, com Luciana cantando divinamente, num relaxamento perfeito, amparada por produção contemporânea, com a presença de Fióti e da lindíssima Xênia França”.

O cineasta carioca Hélio Rodrigues também deixou suas impressões sobre Deusa do Rio Níger:

“Ouvi seu disco. Quero te dizer que você está depositando algo no mundo com muita elegância – sobretudo necessária – com elementos do Afrobeat em outra sensibilidade dimensional, que me deixa muito feliz, por estar ouvindo algo híbrido de nossa terra.
Deusa do Rio Níger. Que força de locomotiva essa, puxando todo mundo pro Maranhão e para o Mali. O que você fez com a música do Caetano deu outra gramatura, deu outra sustância. Foi um “Saravá Lounge” com seu sorriso, com seu protesto elegante e sua afirmação dizendo que há convergências sérias de autenticidade e autoralidade.
Os pianos, a guitarra, a sua voz em veludo passeando por um corpo com os olhos vendados…é isso que diz o seu álbum. É para fechar os olhos.
Em Veleiro Azul você volta a dominar as canções dos autores. Tiimoneira das direções dos ventos dessa música ( uma Yansã assoprando as correntes de ar nos varais de poesias do mar). Em Mar e Amar você puxa o sentimento do Guilherme e ele aplica nas teclas, um conforto de amor, estacando o que é inerente a você: A tua elegância com Mar, com o vento, com a sensibilidade circunferenciando a tua voz para dentro das matérias (corpos auditivos) do mundo”.

 

CLIQUE AQUI E OUÇA O ÁLBUM EM SUA PLATAFORMA MUSICAL FAVORITA.


DISCOGRAFIA
// Discografia Luciana Oliveira
 

tit-discografia

 

 

LUCIANA OLIVEIRA – “DEUSA DO RIO NÍGER” (2017)
 

 
LUCIANA OLIVEIRA – “PURA” (2013)
 

 
LUCIANA OLIVEIRA – “O VERDE DO MAR” (2008)
 


AGENDA
// Agenda de Shows
 

GALERIA
// Fotos e Vídeos
 

tit-fotos

 

 


 

 
tit-videos
 

 

 

 


CLIPPING
// Luciana Oliveira na Mídia
 

tit-clipping

 

 

luoliveira-clipping-01

luoliveira-clipping-02

luoliveira-clipping-03

luoliveira-clipping-04

luoliveira-clipping-05


CONTATO
// Fale com Luciana Oliveira
 

tit-contato

 

 

Contatos para Shows:

CONTATOLUOLIVEIRA@GMAIL.COM
55 11 94859-2222

 
CABEÇA DE NEGA PRODUÇÕES
Jussara Salles – Produtora Cultural
Tel. 11 97150-6290 (vivo)
Skype: jussara.salles42

ENVIE UMA MENSAGEM PARA LUCIANA OLIVEIRA:

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto

Sua mensagem